Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Homem Borboleta

06.11.14

Quando um homem é levezinho, é bom, mas quando essa leveza faz dele um ser inconsistente, então as coisas complicam-se. Há uma grande diferença entre um homem leve, que sabe o que quer e que consegue levar uma mulher à certa porque é determinado sem ser impositivo e um que, como se diz em linguagem futebolística, chuta para onde está virado.

O Homem Borboleta é isento de vontade própria, de determinação e de coluna vertebral, e por isso voa ao sabor do vento. Ele pode pousar numa flor mais tempo do que noutra, mas essa aparente dedicação pode apenas querer dizer que estacionou ali porque não tinha outras opções. Com o passar do tempo ele vai começar muito rapidamente a olhar para as flores do lado e a sobrevoá-las, que é o que todas as borboletas fazem, porque foi para isso que nasceram.

O Homem Borboleta não é nem muito giro nem particularmente inteligente ou dotado de charme, mas sabe estar, sabe sorrir, sabe dar a atenção a uma mulher e tem uma presença agradável e decorativa. É o tipo de pessoa que não tem inimizades porque preza o bom trato com toda a gente, mas a sua ausência de brilho não o permite ascender à categoria de popular, sendo apenas bem tolerados pelos outros homens.

O Homem Borboleta, tal como o nome indica, já foi lagarta numa crisálida; é provável que tenha passado uma adolescência solitária a penosa, apenas com as suas crises de acne como companhia. Na idade adulta a sua timidez transformou-se em simpatia discreta e as suas inseguranças passaram a andar escondidas do lado de dentro da camisa.

Uma das características do Homem Borboleta é ser vago e indeciso em todas as ocasiões: ele nunca sabe bem o que quer, a não ser o que lhe apetece nas próximas 3 horas. Amanhã é outro dia e depois logo se vê, diz, encolhendo os ombros, esperando que os outros lhe organizem a vida. Ele sabe seduzir, é exímio em agradar, campeão em bajular, mas nunca se compromete. Se pudesse, vivia sempre a vida de trabalho como um estudante e as relações amorosas como amores de Verão.

Não passa de um menino mimado que nunca cresceu, para quem os anos não acrescentam qualquer tipo de aprendizagem, porque em bom rigor, o Homem Borboleta tem o cérebro desligado, ligando-o apenas para o que lhe interessa. Não é que seja desprovido de inteligência, mas possui aquilo a que chamo inteligência selectiva, só pensando sobre o que quer, acompanhado de memória selectiva, lembrando-se só do que lhe interessa e vontade selectiva, agindo apenas quando lhe convém.

Na verdade não passa de uma variante mais colorida do já retratado Sonso, mas com um prazo de validade ainda mais curto. Afinal, a natureza é sábia; se dita que certos animais têm um tempo de vida curto, é porque não fazem assim tanta falta.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Seguir no SAPO

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D